Quando a mulher opta por não ter mais filhos, a laqueadura pode ser uma boa alternativa. É uma abordagem segura e altamente eficaz para prevenir a gravidez, sendo capaz de durar uma vida inteira – ou seja, torna desnecessário o uso de métodos de controle de natalidade a partir de então. Além disso, não há efeitos colaterais significativos a longo prazo.

gravidez-doutissima-shutterstock
A laqueadura pode ser feito logo após o parto ou até mesmo durante uma cirurgia. Foto: Shutterstock

Como funciona esse método para evitar a gravidez

A laqueadura é considerada uma forma permanente para não engravidar. Basicamente, o que ocorre é o bloqueio das trompas de falópio. Isso acaba impedindo que o óvulo chegue ao útero para ser fertilizado, bem como que o esperma se movimente para fecundar o óvulo.

É possível fazê-la a qualquer tempo, inclusive depois de dar à luz ou então em conjunto com uma cirurgia. Vale dizer que no Brasil a Lei 9.623/96 a permite apenas para pessoas maiores de 25 anos ou que já têm dois filhos – nesse último caso desde que haja um período de 60 dias entre a manifestação de vontade e a cirurgia.

Há diversas técnicas para realizar o procedimento, mas geralmente o cirurgião faz um ou dois pequenos cortes e insere um laparoscópico e outros instrumentos para chegar até o local. Lá ocorre a cauterização ou o chamado grampeio das trompas – com pequenos aneis ou bandas de borracha.

Alguns sintomas costumam ser comuns por dois a quatro dias após a cirurgia – desde que não sejam muito intensos. São eles dores nos ombros, coceira ou dor de garganta, barriga inchada e corrimento ou sangramento vaginal.

Em dois ou três dias já será possível retomar a rotina normal, mas para fazer atividades mais pesadas é aconselhável aguardar cerca de três semanas. Nesse período de recuperação, são importantes alguns cuidados, como por exemplo deixar a área da incisão seca.

É preciso ainda seguir à risca as recomendações médicas para banho e vestimentas e retornar na data marcada para remover eventuais suturas. Você também deve comparecer às consultas que seu médico tenha agendado para acompanhar a recuperação.

Vantagens e desvantagens

De acordo com um estudo publicado na revista Human Reproduction Update, fazer laqueadura é capaz de diminuir as chances de câncer de ovário. Em contrapartida, uma pesquisa divulgada na revista Gynecologic Oncology sugere que esse procedimento pode ter uma relação com maior incidência de câncer cervical.

A laqueadura é considerada um método permanente de contracepção, mas uma de suas vantagens é que é possível revertê-la. Para isso, você também precisará passar por uma nova cirurgia – que como todas traz alguns riscos.

Justamente por isso, muitos médicos sugerem que quem deseja engravidar recorra a métodos alternativos, como a fertilização in vitro – menos invasiva. Afinal, os procedimentos cirúrgicos costumam ser seguros, mas ainda assim trazem alguns riscos.

Dentre os principais perigos de uma laqueadura – ou da cirurgia para revertê-la – estão sangramento ou hemorragia, infecção, danos a órgãos próximos às trompas e efeitos colaterais da anestesia.

Embora as taxas de sucesso desse método de contracepção sejam grandes, se ele não é feito corretamente é possível que ocorra uma gravidez mesmo depois do procedimento. Há relatos ainda da ocorrência de gestação ectópica – ou seja, quando o óvulo é fertilizado fora do útero.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!