Mioma uterino: como esse problema pode afetar sua gravidez

Por: Redação Doutíssima em

Se você sofre com um mioma, pode estar se perguntando se é seguro ou mesmo possível engravidar. Muitas mulheres sequer percebem que estão com esse tumor até ficarem grávidas e o médico identificar em um ultrassom.

A boa notícia é que, pelo menos na maioria dos casos, ele não representa um problema durante a gravidez, embora possam trazer complicações no futuro.

O que é um mioma?

Um tumor fibroide, também conhecido como mioma, é uma massa compactada de músculo e tecido fibroso que cresce na parede (ou, por vezes, do lado de fora) do útero. Ele pode ser tão pequeno quanto uma ervilha ou tão grande como uma laranja.  

De acordo com a Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos, uma em cada cinco mulheres desenvolvem miomas durante a fase reprodutiva. Miomas uterinos são tumores não cancerosos do útero e não estão associados a um risco aumentado de câncer de útero.

Os sintomas mais comuns, embora nem sempre presentes, são períodos menstruais prolongados, micção frequente, dificuldade ao esvaziar a bexiga, constipação e dor nas costas ou nas pernas.

Os médicos não sabem exatamente a causa de miomas uterinos, mas pesquisas e experiências clínicas apontam para alterações genéticas e hormonais – no caso, estrogênio e a progesterona.

Esses dois hormônios estimulam o desenvolvimento da mucosa uterina durante o ciclo menstrual, em preparação para a gravidez, e parecem promover o crescimento de miomas.

Mioma
É possível engravidar tendo um mioma, mas vale conversar com o seu médico. Foto: iStock, Getty Images

Gravidez e miomas

Geralmente, os miomas se desenvolvem antes da gravidez, embora muitas mulheres não saibam que têm um até que se submetam a um exame pélvico ou ultrassom. Quando se tem notícia da existência deles antes da gestação, a melhor conduta é perguntar ao médico se o tamanho ou a posição poderiam causar problemas.

Grande parte das mulheres que apresentam esses tumores não experimentam complicações na gravidez por causa deles. É possível a ocorrência de dor abdominal, que ocasionalmente é acompanhada de sangramento vaginal leve. O bebê raramente é afetado, exceto se o sangramento for substancial.

Ainda assim, um estudo publicado na revista Fertility and Sterility traz informações preocupantes. Segundo esse levantamento, os miomas, independentemente do local, estão associados à redução de 15% em taxas de gravidez, 30% em taxas de nascidos vivos e aumento de 67% em taxas de abortos espontâneos.

Quando dolorosos, eles são geralmente tratados com repouso, compressas de gelo e, se necessária, medicação. É importante consultar um médico, profissional capaz de recomendar o tratamento que é mais seguro para você. Os sintomas costumam desaparecer em alguns dias, mas às vezes aumentam durante a gravidez, em razão da atuação dos hormônios.

Mais uma vez, é válido consultar o médico nesses casos. Ele pode recomendar exames para ver se o mioma está crescendo ou causando complicações. Caso pareça que ele esteja ocasionando problemas, o profissional muitas vezes opta por realizar uma cesariana.

Fazer a remoção cirúrgica dos miomas é pouco provável durante a gravidez. Isso porque o risco de hemorragia excessiva é elevado – levando perigo ao bebê. Além disso, normalmente eles tendem a diminuir enquanto seu útero se recupera.

E aí, ficou com alguma dúvida sobre mioma? Deixe o seu comentário!

COMPARTILHAR