A inclusão de novas opções de gênero no Facebook e a declaração de Ellen Page apontam para o mesmo objetivo: diminuir o preconceito aos homossexuais e permitir que cada um viva o que é

ellen page

Na última sexta-feira (14) a atriz canadense Ellen Page declarou que é lésbica, durante um discurso em uma conferência sobre os direitos dos homossexuais em Las Vegas, nos Estados Unidos. Segundo jovem, a declaração tem como objetivo ajudar outras pessoas que não assumem, afirmando que já estava “cansada de se esconder”.

A declaração de Ellen Page ganhou grande destaque na imprensa e, principalmente, nas redes sociais, onde recebeu o apoio de grupos que lutam pelos direitos dos homossexuais. Grupos contrários e pessoas com opiniões mais conservadoras criticaram tanto a declaração da atriz quanto a divulgação por parte da imprensa e nas redes. O cantor Ricky Martin, que também já assumiu sua homossexualidade, parabenizou a atriz e afirmou: “agora você está livre”.

Ellen Page utilizou o Twitter para agradecer às milhares de mensagens de apoio que recebeu de seus fãs e pessoas em geral. “Apenas queria reservar um momento para dizer o quanto estou comovida por todo o apoio. Sinto-me profundamente grata neste exato momento”, publicou a atriz.

Ellen Page: as redes se adaptam, enquanto as pessoas…

E parece que esta é uma discussão que não terá fim. Quanto mais avançam as lutas pelos direitos dos homossexuais, mais as pessoas com opiniões conservadoras buscam argumentos para impedir que os avanços aconteçam. Fato é que, em geral, cada vez mais a sociedade e as coisas vão se adaptando à realidade naturalmente, ainda que de forma lenta.

A rede social Facebook incluiu, no dia 13 deste mês, novas opções de gênero para serem utilizados nos perfis das redes sociais. A mudança apresenta além dos tradicionais “masculino” e “feminino” a escolha “personalizado”, que contém dezenas de opções como homossexual, gay, transexual e andrógino.

Segundo a empresa houve um trabalho junto a entidades LGBT para disponibilizar os nomes corretos para os gêneros. Outra novidade é a possibilidade de escolha dos pronomes pelos quais as pessoas querem ser referidos em postagens no site. Agora, além dos ele/dele (masculino) e ela/dela (feminino), há como escolher uma nominação neutra.

ellen page

A sede da empresa foi decorada com as cores do arco-íris em referência à novidade, que por enquanto está disponível apenas na opção pela língua inglesa. De acordo com o escritório da empresa no Brasil, ainda não há previsão para uma versão em português.

É possível acreditar que este, juntamente com a atitude de Ellen Page, é mais um passo em direção a uma sociedade com menos preconceitos, que permita a cada um viver conforme sua natureza, convicções e escolhas. É nas pequenas mudanças do dia-a-dia que se consegue construir grandes transformações.

Saiba mais

Como conversar com o seu filho sobre homossexualidade

Pais devem conversar com os filhos sobre a descoberta da sexualidade

“Nossas escolas não estão preparadas para discutir a homossexualidade”

Famosos ‘saem do armário’ e revelam a sua homossexualidade

Aprendendo sobre sexualidade com as francesas

Sexólogo explica sobre andropausa e sexualidade masculina

Novas regras para reprodução assistida podem ser usadas por casais homoafetivos

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!

Clique aqui para se cadastrar!