Superação no câncer de mama: conheça uma lição de vida

Por: Redação Doutíssima

A tendência de quando se descobre alguma enfermidade grave é que nos abatamos e pensemos que a vida acabou. No entanto, histórias reais servem para nos ensinar que é possível que tenhamos atitudes de superação no câncer de mama. O Outubro Rosa é o mês dedicado à pevenção e combate ao câncer de mama.

 

Tire suas dúvidas sobre o câncer de mama e outras doenças no Fórum Doutíssima

 

Exemplo de superação no câncer de mama

Um exemplo real de superação no câncer de mama é o da publicitária Renata Sarmento, 33 anos, que aos 32 descobriu a doença. Para Renata, a descrição do primeiro sentimento mediante ao fato é de surpresa. “Depois você se pergunta o porquê. E depois vem a aceitação”, explica.

superação-no-câncer-de-mama
Com força de vontade e dedicação é possível vencer o câncer de mama. Foto: iStock, Getty Images

Essa aceitação foi peça fundamental para a superação no câncer de mama. Para isso, Renata conta que descobriu o câncer no dia 5 de setembro de 2013 e que em 1° de novembro começou a quimioterapia.

“Foram 4 sessões de quimio vermelha de 21 em 21 dias. E 12 sessões da quimio branca, uma vez por semana. Depois fiz 30 sessões de radioterapia. Todos os dias úteis. Hoje, tomo um remédio chamado tamoxifeno. Tomarei durante 5 anos”, lembra.

Família é vital para a superação no câncer de mama

A publicitária salienta a família como ponto de equilíbrio em termos de superação no câncer. “Minha família se uniu imediatamente. Me dando suporte e muito amor”. No entanto, ela lembra que da família também veio a parte mais dolorosa do tratamento: ver os familiares e os amigos sofrerem.

“O que mais me ajudou foi o amor que recebi de todos. É um carinho que vem de todos os lados. Além disso, olhar meu marido, que era meu noivo na época, continuar me olhando do mesmo jeito, mesmo careca, me ajudou demais também”, relata.

superação-no-câncer-de-mama
Renata é exemplo de superação na luta contra o câncer. Foto: Divulgação

É preciso seguir a vida

Renata faz questão de frisar um ponto muito importante em relação ao processo de superação no câncer de mama: conseguir deixar a vida seguir.

“Não pude continuar trabalhando porque fiz o tratamento em Belo Horizonte, perto da minha família. E trabalhava em Londrina. Mas se trabalhasse em BH conseguiria manter minha vida profissional normalmente. Mantive atividade física, mas de forma moderada. Fazia atividade todos os dias. Saia, viajava. Mantive uma vida normal. Senti pouco enjoo e poucas dores no corpo”, conta.

Além disso, ela explica que a mudança na sua vida resultado da superação no câncer está na valorização das coisas simples. Para Renata, é como resultado de fases como essas que aprendemos a dar valor a pequenos momentos de alegria e valorizar o que se tem sem dar tanta importância a coisas supérfluas.

Para quem busca um incentivo de motivação e superação no câncer de mama, Renata dá a dica: “Ter fé. Não se isolar. Deixar que as pessoas nos deem amor. Que é a melhor parte disso tudo? Ninguém vai olhar para você com dó e sim com admiração de estar enfrentando tudo isso de cabeça erguida”.

Para prevenir a doença o conselho é simples e direto: procurar um mastologista de forma rotineira, independentemente de histórico familiar da doença ou não. Com diagnóstico precoce tudo fica mais fácil de se tratar.

Além disso, também é importante a execução de atividade física e adotar uma alimentação saudável, o que ajuda tanto na prevenção como na recuperação de qualquer tratamento.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!