Flexão de braço: saiba qual a forma correta de fazer

Por: Redação Doutíssima

A flexão de braço não é um exercício novo – quase todo mundo já “pagou” algumas durante uma aula de ginástica. Porém, ela ainda é presença constante no treino de muitas pessoas porque possui inúmeros benefícios. Um dos movimentos mais fáceis em termos de atividade física, o impulso padrão ativa quase todos os músculos, proporcionando tonificação e aumento da resistência.

 

Como é feita a flexão de braço?

Não há mistério e qualquer pessoa consegue fazê-la. Usando o próprio peso do corpo, com ela é possível tonificar a musculatura, desde que feita de forma correta.

flexão de braço
Mulheres também podem tirar proveito dos benefícios da flexão de braço. Foto: iStock, Getty Images

Deite-se com o rosto virado para o chão, na ponta dos pés e coloque as mãos a uma distância de 75 a 90 centímetros uma da outra. Mantenha seu corpo acima do comprimento do braço, equilibrando-se em seus dedos.

Agora, dobre os cotovelos e abaixe-se até que seu peito quase toque o chão. Inspire, expire e empurre seu corpo de volta para a posição inicial. Após uma breve pausa, faça quantas repetições forem possíveis.

 

Para melhorar a força e a saúde em geral, tudo o que você precisa fazer é se comprometer a fazer cerca de 30 minutos de flexão de braço em dias alternados, tantas quanto forem possíveis. Logo você perceberá todos os benefícios desse exercício poderoso.

 

Benefícios da flexão de braço

A flexão de braço é tão eficaz para a construção da força de peito e braço quanto o supino, segundo um novo estudo no Journal of Strength & Condicionado Research. Elas podem ser feitas em casa tanto por homens quanto por mulheres, sem a necessidade de equipamentos e com economia de tempo e dinheiro.

 

As flexões ajudam a trabalhar peito, abdômen, região lombar e a construir força no quadríceps. Como resultado, é desnecessária a realização de muitos outros exercícios. As mulheres costumam usá-las para substituir levantamento de peso, alongamento e exercícios cardiovasculares – que proporcionariam resultados idênticos.

 

Como o sexo feminino não possui tanta força na parte superior do corpo, as flexões também ajudam a desenvolver a força necessária nessas áreas. Elas ainda beneficiam a parte inferior do corpo. Em outras palavras, é possível tonificar bumbum, tronco e ombros, tudo em um treino.

 

O metabolismo e a circulação sanguínea também são estimuladas, permitindo maior queima de calorias no restante do treino. Estudos têm mostrado ainda que as flexões podem ajudar a aumentar os níveis de testosterona, reduzindo o risco de osteoporose.

 

O principal cuidado é o tempo de descanso entre as sessões de treinamento. A dor muscular é causada por lesões microscópicas nas fibras musculares e, geralmente começa em torno de 24 horas depois do término do exercício, durando até mais que 48 horas.

Com o tempo, o corpo irá se adaptar e não haverá dor após o treinamento, mas os intervalos continuam importantes.

Segundo o criador do método Kettlebell, Pavel Tsatsouline, uma boa ideia é realizar metade do seu número máximo de flexões em vários pontos durante o dia. Se você pode fazer 20 flexões, faça um conjunto de 10 em horas alternadas. Isso aumenta o seu volume de treinamento e a capacidade de trabalho, e não sujeitará você aos riscos de fadiga ou lesão.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!