Alimentação orgânica: fique por dentro das vantagens e aproveite

Por: Redação Doutíssima em September 28, 2015

Escolher corretamente o que colocamos no prato todos os dias é um dos principais pilares para um estilo de vida saudável. Nesse quesito, a alimentação orgânica tem importante papel.

O que é a alimentação orgânica

Os alimentos orgânicos são aqueles em que se utilizam, em todos os seus processos de produção, técnicas que respeitam o meio ambiente e visam à qualidade do alimento. “Desta forma, não são usados agrotóxicos nem qualquer outro tipo de produto que possa vir a causar algum dano à saúde dos consumidores”, explica a nutricionista Adriana Pittelkow.

alimentacao organica
Por mais que sejam mais caros que os tradicionais, os alimentos orgânicos são mais nutritivos. Foto: iStock, Getty Images

Na agricultura, por exemplo, utiliza-se apenas sistemas naturais para combater pragas e fertilizar o solo. Embora apresentem praticamente as mesmas propriedades nutricionais dos alimentos inorgânicos, os itens que consistem na alimentação orgânica apresentam a vantagem de serem mais saudáveis, pois não possuem agrotóxicos.

De acordo com a nutricionista, estudos científicos sugerem que os alimentos orgânicos são melhores para a nossa saúde, pois o seu valor nutricional é maior do que aqueles produzidos convencionalmente.

Mas como saber se o que está sendo comprado e consumido realmente o fará ter uma alimentação orgânica? Não é dificil e Adriana explica. Para saber se o produto que você está levando para casa é realmente orgânico, fique atento se ele possui o selo brasileiro determinado pela Lei dos Orgânicos ou pela declaração do produtor orgânico familiar.

Benefícios da alimentação orgânica

Ao procurar se certificar das propriedades dos alimentos orgânicos, mesmo que isso exija um pouco mais de empenho, saiba que você só tem a ganhar. Adriana reforça os benefícios da alimentação orgânica abaixo. Confira:

– Os alimentos são mais saudáveis, pois são livres de agrotóxicos, hormônios e outros produtos químicos

– São mais saborosos

– Sua produção respeita o meio ambiente, evitando a contaminação de solo, água e vegetação

– A produção usa sistemas de responsabilidade social, principalmente na valorização da mão-de-obra

A única desvantagem da alimentação orgânica em relação aos produtos convencionais não é nutricional. Acontece que os orgânicos, em geral, são mais caros, pois são produzidos em menor escala e os custos de produção também são maiores.

No entanto, nas últimas décadas, o uso indiscriminado de agrotóxicos e produtos químicos na produção de alimentos vem causando preocupação em diversas partes do mundo.

“Um forte exemplo é a crítica ao modelo de agricultura vigente que cresce à medida que estudos comprovam que os agrotóxicos contaminam os alimentos e o meio ambiente, causando danos à saúde”, diz Adriana.

Cuidados na alimentação

Pelo fato de muitas pessoas não terem espaço para cultivar a sua própria hortinha, acabam adquirindo os alimentos em supermercados. Por isso, é preciso saber quais os alimentos que são os campeões em agrotóxicos.

Adriana cita o levantamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que aponta alimentos convencionais mais contaminados por agrotóxicos: pimentão (92%), morango (64%), pepino (58%), alface (54%), abacaxi (33%), couve (32%), mamão (30%) e tomate (16%).

 

E mesmo na lavagem com cloro ou vinagre para higienizar as verduras, frutas e legumes, o agrotóxico não sai dos alimentos.

 

Como qualquer alimento vegetal, os orgânicos devem ser conservados em saquinhos, na parte mais baixa da geladeira, para não ressecar. Antes de consumidos, devem ser colocados por 20 minutos em um litro de água com uma colher de água sanitária.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!