Doação de óvulos: tire suas dúvidas sobre esse procedimento

Por: Redação Doutíssima em

A doação de óvulos é uma opção para os casais inférteis que desejam ter filhos. Assim como doar sangue, a mesma atitude com os óvulos é voluntária e a iniciativa deve partir da própria doadora. Assim, mulheres saudáveis e férteis podem ajudar as que não conseguem ou não podem engravidar nas condições naturais.

 

Quando a doação de óvulos é a melhor opção

Para as mulheres perfeitamente férteis, doar óvulos é um ato de altruísmo com quem quer ser mãe e tem empecilhos. Em casos de infertilidade ou de incompatibilidade entre casais, a doação de óvulos pode ser a única opção para engravidar.

doacao de ovulos
Assim como a doação de sangue, é possível doar óvulos e ajudar casais inférteis. Foto: iStock, Getty Images

A falta de óvulos é provocada por algumas doenças, tratamento para o câncer ou até a menopausa, que pode aparecer precocemente em algumas mulheres. Essas são as razões principais para a procura por uma doadora.

A taxa de sucesso em casos de óvulos doados está diretamente ligada à idade e às condições de saúde da doadora. Ou seja, jovens saudáveis são as melhores fontes para uma fertilização que vai dar início a uma gravidez.

Segundo dados de 2014 do Ministério da Saúde, o país oferece nove unidades de tratamento gratuito para a infertilidade. A extensão dos serviços e o número limite de casos a serem atendidos nos locais é de definição do gestor de cada um delas.

Como ser uma doadora de óvulos

Para a doação de óvulos, é preciso de um longo histórico médico e de saúde de quem decide abrir mão desses pequenos geradores de vida. Doenças, predisposições genéticas e outros fatores precisam ser avaliados antes do procedimento. É obrigatório que a doação seja sigilosa e não pode haver remuneração envolvida entre quem doa e quem recebe.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) estipulam algumas regras para esse método de fertilização. Para a doação de óvulos, a doadora não pode ter mais de 35 anos e a receptora não pode passar dos 50.

 

No Brasil, a doação de óvulos não é paga como em países como os Estados Unidos. Mas o Conselho Federal de Medicina permite a doação compartilhada, quando uma mulher jovem com problemas de fertilidade doa seus óvulos para uma mulher que precisa em troca dos custos do tratamento.

Quem decide passar pelo procedimento de doação precisa estar ciente de que terá uma vida restritiva por algumas semanas prévias ao momento da coleta. São administrados injeções e medicamentos na doadora para estimular a ovulação e a cirurgia para a retirada do material é feita com anestesia geral.

 

Abrir mão dos óvulos também é uma opção para mulheres que congelaram diversos deles para fertilização e conseguiram uma gestação sem utilizar todas as tentativas possíveis. Os remanescentes podem ser oferecidos para doação.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre doação de óvulos? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!