Manter a saúde emocional auxilia na prevenção de doenças

Por: Redação Doutíssima em

Você é feliz? Saiba que a resposta pode influenciar o seu bem-estar ao longo da vida, já que a saúde emocional tem um papel importante na manutenção do equilíbrio físico. A Organização Mundial da Saúde (OMS) está medindo os níveis de felicidade ao redor do mundo para inserir esses parâmetro justamente como um medidor do bem-estar.

Os resultados da pesquisa ainda devem demorar alguns anos, mas a ação é extremamente positiva no sentido de promover a Medicina como um agente mantenedor da saúde, e não apenas uma ciência de combate a doenças. A maior integração das áreas médicas com o intuito de promover o bem-estar é um dos possíveis efeitos do trabalho desenvolvido pela OMS.

saude-emocional-Doutissima-iStock-Getty-Images
Manter a saúde emocional é buscar formas de evitar ou aliviar o estresse. Foto: iStock, Getty Images

Como a saúde emocional afeta o corpo

O organismo humano responde a tudo que se pensa, sente e faz. Ansiedade, estresse e preocupação geram reações corporais para alertar que as coisas não estão muito bem. É sabido que pressão alta e úlcera no estômago podem ser causados por um evento particularmente desagradável, como a perda de uma pessoa próxima.

Outros sinais do corpo são efeitos de uma saúde emocional em desequilíbrio. Sintomas como dores nas costas, dor no peito, constipação, mudança de apetite, fadiga, dores de cabeça, insônia, palpitações, transtornos sexuais, falta de ar, pescoço rígido, perda ou ganho de peso, boca ressecada e suor excessivo estão relacionados com o trabalho da mente.

Para entender melhor o impacto da saúde mental na qualidade de vida a longo prazo, um estudo do Missouri Institute of Mental Health observou que pessoas com esquizofrenia vivem cerca de 25 anos a menos que a média da população. Esses mesmos indivíduos tem 3,4 mais chances morrer por problemas de coração e de diabetes e são cinco vezes mais suscetíveis a problemas respiratórios que os demais.

O comparativo acima não engloba grande parte da população, mas é um ótimo exemplo de como a mente e o corpo estão mais próximos do que se pensa. Laura Carstensen, do setor de psicologia da Universidade de Stanford, observou como as emoções negativas agem no organismo.

Autora do livro A Long Bright Future (Um futuro longo e brilhante, no sentido literal), a especialista percebeu que o vírus HIV progride muito mais rápido em homens homossexuais não assumidos se comparado aos que são abertamente gays. A explicação provável é que o receio da rejeição, o isolamento e o estresse de esconder algo tão expressivo como a opção sexual enfraquece o sistema imunológico.

Outros estudos já observaram que pessoas mais felizes e positivas têm maiores chances de sobreviver em casos de doenças potencialmente letais, como o câncer.

Mantenha a saúde emocional

Manter a saúde emocional é buscar formas de evitar ou aliviar o estresse, o cansaço mental, a ansiedade, e trabalhar sentimentos como a culpa, a vergonha, a baixa auto-estima e outros. O primeiro passo para livrar-se do que perturba sua mente é descobrir o que é e afastar-se como puder.

Meditação, psicoterapia e terapias alternativas são boas opções de atividades que buscam o equilíbrio emocional para lidar melhor com situações pontuais ou do cotidiano. Não deixe o corpo sofrer, busque auxílio para tranquilizar a mente e ter mais qualidade de vida.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!