O início da epidemia do zika vírus se tornou motivo de preocupação para as mulheres que estão tentando engravidar  especialmente quando o Ministério da Saúde apontou que a doença estaria relacionada ao aumento de 85% dos registros de microcefalia no país. Diante desse cenário, o que é melhor: continuar a tentativa ou desistir da gravidez?

Maria Cecília Erthal, diretora médica da Clínica de Fertilidade Vida, lembra que o mosquito está se espalhando por toda a América e que a realidade de uma vacina disponível ainda é relativamente distante. Na hora de tomar a decisão, vale levar em conta fatores específicos de cada caso, como a idade da mulher. 

É recomendado continuar tentando engravidar?

Diante de um alerta geral em relação ao Aedes aegypti, Maria destaca que a prioridade agora é erradicar o mosquito, o que pode levar tempo. O conselho da médica para quem está tentando engravidar de forma espontânea é esperar o verão passar. Esse é o período de maior incidência do inseto.

No caso das mulheres que estão na dúvida sobre a ideia de engravidar, a médica aconselha o congelamento de óvulos e embriões. “O tempo é um fator que compromete muito a fertilidade. Por isso, uma alternativa é usufruir das tecnologias que permitem postergar a chance da gravidez”, ressalta a especialista.

Mas o que acontece com as mulheres acima dos 40 anos, que estão realizando tratamentos de fertilização, diante do zika vírus? O conselho de Maria, embora o cenário seja alarmante, é não desistir do processo, apenas adiar sua última etapa para depois do verão.

“A fertilização in vitro é um tratamento feito em várias etapas. Primeiro, estimulamos os óvulos, os recolhemos e fazemos o congelamento. Depois há a preparação do útero para receber os embriões. A sugestão é que a mulher realize as primeiras fases do processo e aguarde, apenas, para realizar a última: a transferência de embriões”, aponta.

A médica enfatiza que o zika vírus não é motivo para interromper subitamente o tratamento de fertilização, até porque ele envolve um aspecto emocional muito forte. A expectativa e a ansiedade são grandes.

tentando engravidar
A recomendação é que cada caso seja analisado em separado. Foto: Shutterstock

Cuidados com o zika durante a gestação

Segundo Maria, é necessário lembrar que todos precisam ter cuidados com o Aedes aegypti, pois qualquer pessoa pode contrair o zika vírus – não apenas grávidas. A orientação é colocar proteção nas janelas, evitar água parada e utilizar repelente a cada seis horas.

Outro conselho é tomar ainda mais cuidado ao frequentar ambientes próximos de lagoas e ter atenção pela manhã, que é quando o Aedes, por ser um mosquito diurno, mais gosta de picar. “Aconselhamos que as grávidas, especialmente no primeiro trimestre da gravidez, usem meias, pois ele costuma picar na região dos pés e tornozelos”, finaliza.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!