Descongestionante nasal: conheça os riscos envolvidos no uso

Por: Redação Doutíssima em

Método mais rápido para aliviar o desconforto do nariz entupido, o descongestionante nasal é alternativa que costuma estar sempre na caixinha de remédios. O que nem todo mundo sabe é que o uso excessivo pode causar efeitos colaterais perigosos.

descongestionante nasal
É só o frio começar que o descongestionante logo se torna alternativa. Foto: iStock, Getty Images

Descongestionante nasal pode causar danos

A congestão nasal se manifesta mais popularmente a partir de queixas de que o nariz entupido. É o que acontece quando os tecidos nasais e vasos sanguíneos que revestem o interior das narinas se tornam inflamados e inchados.

Para muitos, a melhor aposta de solução é usar um descongestionante nasal. Mas, pelo menos de acordo com artigo publicado na revista Consumer Reports, o mau uso desse produto é capaz de ter consequências indesejáveis.

Ficar com o nariz entupido pode ser a resposta do organismo a várias situações, como fumaça de cigarro, pólen, pelos de animais e resfriados. Mesmo que em alguns casos esteja acompanhada de espirros, a congestão pode resultar em dificuldades para respirar e desconforto.

Justamente por isso, a maioria dos descongestionantes contém o ativo de oximetazolina ou fenilefrina, que fornecem alívio por até 12 horas ou quatro horas, respectivamente. Essas substâncias acionam os receptores nos vasos sanguíneos e abrem as passagens nasais para facilitar a respiração.

Há alívio mais rápido se usados sprays nasais que atuam topicamente no tecido afetado – principalmente se comparados a comprimidos, que demoram a se dissolver pela corrente sanguínea.

O problema é que o produto não afeta apenas o nariz, mas também os vasos sanguíneos. Um dos efeitos possíveis é o aumento da pressão arterialUma pesquisa das Universidades de Harvard, Nacional de Cingapura e Boston indica que mulheres grávidas que usam sprays para resfriados aumentam o risco de malformações congênitas em seus bebês.

Esse uso excessivo também está ligado a uma condição chamada de rinite medicamentosa. Isso porque o medicamento é capaz de danificar as passagens nasais e causar hemorragias, secura e dores de cabeça. Quando se torna grave, pode causar ainda perda dos sentidos de gosto e cheiro.

Descongestionante nasal pode viciar?

Você já deve ter ouvido falar que é preciso evitar os descongestionantes, já que pode se tornar viciado neles. Isso porque, depois de três ou quatro dias de uso contínuo, os sprays muitas vezes fazem os tecidos nasais incharem novamente, mesmo quando o problema original já passou.

Esse padrão é capaz de se tornar um ciclo vicioso, levando ao uso contínuo, que dura meses ou anos. Justamente por isso, é preciso usar esse produto sempre com recomendação médica, pelo tempo determinado pelo profissional. Se os sintomas não desaparecerem, o mais indicado é buscar outro tipo de tratamento.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!