Para quem sofre com a procrastinação, manter a rotina organizada e fazer tudo dentro dos prazos previstos pode ser um grande desafio. Afinal, por que terminar agora o que pode ser deixado para depois, não é mesmo? O problema é quando a característica se torna algo crônico e difícil de controlar.

procrastinação
A ansiedade diante das tarefas e do tempo é característica do procrastinador. Ilustração: iStock, Getty Images

Você é um procrastinador crônico?

Todo mundo procrastina. Quando somos confrontados com uma tarefa que simplesmente não queremos fazer, normalmente deixamos para amanhã. O mais normal é que ela seja deixada para a última hora ou um momento em que tudo pareça mais tranquilo. 

Os problemas começam a ocorrer quando você resolve evitar tudo repetidas vezes, em um ciclo que não parece ter fim – e só acumula mais deveres e ansiedade. Segundo a psicóloga Clarry Lay, escritora especialista sobre o assunto, a procrastinação ocorre quando há um período de tempo significativo entre quando as pessoas pretendem fazer um trabalho e quando elas realmente o fazem.

Está na dúvida se esse é o seu caso? Confira algumas dicas de como identificar o comportamento. Essa pode ser a chance de tomar medidas antes que o problema se torne crônico e afete ainda mais a sua vida. 

  • É habitual

Procrastinadores crônicos adiam tarefas importantes várias vezes por semana – e até diariamente, na maioria dos casos. Os efeitos são sentidos a todo momento, mas não geram um impulso de mudança

  • Sofre efeitos negativos por causa disso

Procrastinar pode causar problemas de saúde relacionados à ansiedade e ao sono, especialmente devido ao estresse causado pelas tarefas a fazer. Além disso, as dificuldades também aparecem no trabalho.

  • Acumula outros sintomas

A maioria dos procrastinadores crônicos se sentem infelizes, distraídos e também sofrem de transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), recorrendo a hábitos destrutivos para entorpecer a sua baixa autoestima.

  • Sente-se ocupado o tempo todo

Diferente do que é comum imaginar, procrastinadores crônicos são raramente preguiçosos. Muitas vezes, eles não têm um momento de descanso e estão sempre ocupados com suas tarefas. É por isso que sofrem de exaustão e ansiedade, já que nunca são capazes de realmente relaxar.

Como superar a procrastinação?

Há uma série de conselhos que são dados e só costumam piorar a situação. Vale lembrar que a procrastinação crônica é um padrão cognitivo profundamente enraizado, muitas vezes apoiado por problemas de autoestima e crenças negativas. 

Para superar a procrastinação crônica são necessárias técnicas que realmente reprogramem o cérebro e deem ao paciente uma nova perspectiva sobre si mesmo. O aconselhamento ou coaching pode ajudá-lo a superar sentimentos de culpa e a se colocar em primeiro lugar.

A terapia comportamental é outra alternativa que costuma ser bastante eficaz. Ela permite o conhecimento de si mesmo e ajuda a entender por que esses comportamentos negativos são reproduzidos.

E você, já teve seus momentos de procrastinação? Conte para a gente! Aproveite também para acessar o Fórum de Discussão Doutíssima e ficar por dentro dos mais variados assuntos.