Um levantamento da Fundação Abrinq divulgado no início deste mês traz dados alarmantes: no Brasil, mais de 3,3 milhões de crianças e adolescentes (entre 5 e 17 anos) tem a sua mão de obra explorada no país. O resultado? Eles são privados dos jogos e brincadeiras na educação infantil e se tornam adultos cedo demais. Os impactos negativos costumam ser sentidos ao longo de toda a vida.

A pesquisa revelou ainda que apenas 25% das crianças de 0 a 3 anos conseguem frequentar creches, ambientes em que os jogos e brincadeiras costumam ser estimulados. A pedagoga Rosiane Violada, em artigo redigido para o Jornal da Educação, reforça a importância dessas práticas na construção de conhecimento.

jogos e brincadeiras na educação infantil
Brincar ajuda as crianças a construírem sua realidade. Foto: iStock, Getty Images

Entenda a importância das brincadeiras

Para Rosiane, ao utilizar brincadeiras em sala de aula, o educador é capaz de criar condições de conhecimento para as crianças, a partir do aspecto lúdico. Trata-se de uma forma de assimilação do conhecimento por parte dos pequenos.

A pedagoga reforça que as atividades lúdicas têm um conceituado papel no ensino e podem ser concebidas como uma maneira alegre e descontraída de aprender. Assim, por meio dos jogos, a proposta é desenvolver no educando o espírito crítico e investigador, além do senso de disciplina, seriedade e respeito mútuo.

Mas, afinal, por que os jogos têm tamanha importância para as crianças? A resposta é, principalmente, pela sua capacidade de instigar e despertar o interesse. Ao serem estimulados, os pequenos começam a desenvolver a linguagem, o raciocínio, a atenção, a imaginação, a criatividade e as expressões corporal e verbal.

Além disso, considerando que as crianças estão apenas começando a desenvolver suas capacidades, os jogos as ajudam a assimilar e construir sua realidade. Através das brincadeiras, os pequenos aprendem que ganhar e perder faz parte da brincadeira – um importante aprendizado para a vida.

Opções de jogos e brincadeiras na educação infantil

Em relação aos jogos infantis, é possível elencar diferentes categorias. Veja os principais e alguns exemplos para você incluir na rotina do seu filho e estimular o desenvolvimento. Ele certamento vai adorar.

Jogos de construção

São direcionados para exemplificação e explicação de determinados conteúdos, para que a criança participe ativamente do processo de aprendizado. Exemplos: reutilização de sucata e uso de materiais que estão disponíveis em casa.

Jogos de tabuleiro

São aqueles clássicos e práticos, que têm por objetivo estimular a estratégia e incentivar a criatividade. Exemplos: Banco Imobiliário, War e Imagem & Ação.

Jogos da memória

Nesta categoria entram os jogos que incentivam a memorização e associação de imagens através de repetições simples. Exemplos: caça-palavras, quebra-cabeça e quiz.

Videogames

Com a ascensão das tecnologias, os jogos que podem ser acessados por meio de aplicativos no smartphone, tablet ou no computador também podem ser utilizados em favor da aprendizagem.

Mesmo que a proposta de alguns deles não seja exclusivamente educar, muitas vezes a direção de arte, a narrativa e as ferramentas do jogo auxiliam nos estímulos. Exemplos: The Sims, Spore e Minecraft são jogos que estimulam a criatividade e o raciocínio.

Gostou das dicas de jogos e brincadeiras na educação infantil? Deixe um comentário. Também aproveite para conhecer o Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!