Choros incessantes, gritos e birras. A chamada crise dos dois anos – também conhecida como terrible two – pode transformar aqueles momentos carinhosos e fofos de antes em situações estressantes e desconfortáveis para os pais e também para as crianças.

Se antes o bebê era dependente para tudo, aos poucos ele começa a verbalizar seus desejos e se negar a seguir aquilo que os adultos decidiram. É aqui que os conflitos começam e surge a necessidade de aprender a exercitar a paciência. 

Como os pais devem agir na crise dos dois anos

Primeiramente, tenha em mente que perder a cabeça nessas situações só irá contribuir para que essa agressividade continue por mais tempo. Portanto, respire fundo e espere o seu filho parar de chorar. Lembre-se que aos dois anos as crianças estão em pleno desenvolvimento e imitam o comportamento dos pais.

Ainda assim, é quase desesperador quando a criança faz birra na rua e se joga no chão. Então, como manter a calma nesses momentos? Não é uma tarefa fácil, mas é necessário ignorar a situação. Quando a criança perceber que não tem a sua atenção, ela automaticamente irá parar.

Entretanto, isso não significa que não deva compreender os motivos da crise do seu filho. Depois que tudo passar, tenha uma conversa sincera e explique que aquele comportamento não é adequado. É importante demonstrar carinho e firmeza.

crise dos dois anos
Apesar das birras, não deixe de curtir essa fase do seu filho. Foto: iStock, Getty Images

Dicas para driblar os momentos de birras

Educar uma criança demanda tempo e paciência. Afinal, um pouco de birra faz parte do processo. A diferença está no modo como você reage aos momentos de tensão. Os pequenos podem aprender muito com as atitudes dos pais. Na dúvida, confira algumas dicas que podem ajudar.

Não use chantagem ou ameaças

Ameaçar e chantagear fará com que a criança fique mais triste, agressiva e insegura sobre o que ela representa para você. Não adote esse tom nas conversas, por mais irritado que você esteja.

Converse de maneira calma

Vocês vão ao supermercado ou fazer compras em outro loja? Vale impor limites desde cedo. Eles precisam aprender que nem sempre podem ter aquilo que desejam e que o choro não resolve a situação.

Sem recompensas

Não ofereça premiações por bom comportamento. A criança não fazer essa associação, que pode ser prejudicial para o seu desenvolvimento, inclusive na vida adulta.

Incentive-o

Incentive o seu filho a ser curioso, a descobrir o mundo e deixe que ele tome pequenas decisões dentro das suas capacidades e de maneira segura. 

Sem punições desnecessárias

Seu filho deixou um copo cair no chão? Acidentes acontecem, seja coerente. Somente quando a criança agride ou pratica pequenas transgressões é que deve ser punido – e não de maneira física.

Não se esqueça que os momentos de agressividade do seu filho não significam que ele não o ama. São situações temporárias e essa fase de rebeldia irá passar. Amor, paciência, compreensão e carinho serão suas melhores armas para superar a crise dos dois anos.

E aí, anotou as dicas para superar a crise dos dois anos de seu filho? Deixe o seu comentário!