Você já ouviu falar em episiotomia? Trata-se de um corte feito durante o parto para ajudar no nascimento do bebê, especialmente nos casos em que ele demonstra sinais de dificuldade ou parece estar em perigo. Mas será que a técnica é realmente necessária? Há quem discorde.

O que é episiotomia?

A episiotomia é uma incisão feita no períneo da mulher durante o parto. Embora antigamente fosse uma técnica comum, esse já não é mais o caso. O procedimento costumava ser realizado para prevenir a ruptura espontânea do períneo e reduzir o risco de problemas  de nascimento do bebê.

Contudo, especialistas começaram a expor o trauma de quem passava pelo procedimento. Ainda em 1984, um estudo publicado no British Medical Journal mostrou que não há qualquer benefício em adotá-lo. No entanto, ainda há casos em que o corte é realizado.

Muitas vezes, a abertura vaginal não estica o suficiente para a que cabeça do bebê passe e a incisão cirúrgica é adotada para não deixar que aconteçam rasgos de tecidos. Normalmente, o médico fazer uma episiotomia quando a abertura vaginal precisar esticar em vários centímetros.

Dados da pesquisa Nascer no Brasil, feita pela Fundação Oswaldo Cruz em parceria com o Ministério da Saúde, revelou que entre aquelas que optaram por um parto normal, cerca de 53,5% passaram pelo procedimento. O número está bastante acima do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que é de 15%.

episiotomia
Há casos específicos em que a episiotomia é necessária. Foto: iStock, Getty Images

Quando o procedimento é necessário?

Enquanto o corte do períneo de rotina não é recomendado, ainda há lugar para ele em determinados cenários de nascimento. Você pode precisar de uma episiotomia, seja para o seu bem-estar ou o de seu filho, quando:

  • O bebê é muito grande e precisa de uma rota de saída mais espaçosa
  •  O ombro do pequeno fica preso no canal de parto
  •  O monitoramento da frequência cardíaca do seu bebê mostra que ele está em sofrimento fetal e precisa nascer imediatamente.

Se você precisa passar pelo procedimento, receberá uma injeção de alívio local antes que o corte seja feito. O especialista usará uma tesoura cirúrgica para fazer uma incisão mediana ou mediolateral. Após o parto, é preciso suturar o corte.

Embora muitas mulheres sintam dor após o parto normal, ela pode ser agravada se o períneo foi cortado cirurgicamente. Como qualquer ferida, levará algum tempo para curar – geralmente de sete a dez dias.

Enquanto você estiver no hospital, o períneo será verificado pela equipe de enfermagem pelo menos uma vez por dia, para evitar inflamação ou infecção. Você também aprenderá a fazer a higiene pós-parto na região, que ajuda a prevenir problemas.

Além disso, o médico lhe dirá quando é seguro retomar o sexo – o que costuma ocorrer quando os pontos curarem. Fique atenta a sangramentos, febre, calafrios ou dor perineal grave. Se isso ocorrer, procure ajuda médica imediatamente.

E você, o que acha da episiotomia? Já teve que passar pelo procedimento? Deixe a sua opinião nos comentários.