A gravidez é sinônimo de felicidade e preocupação para as mulheres que são mamães de primeira viagem. Essa época de descobertas, emoções e novidades deve ser encarada com muita responsabilidade. É preciso ficar de olho nos exames e não descuidar da saúde.

Quem está com mais de uma semana de atraso na menstruação já deve ficar de olho. O principal sintoma de uma gestação é a inexistência do sangue menstrual. Outros traços característicos dessa fase são enjoos, tonturas, cansaço constante, vontade de ir ao banheiro, desejos por alimentos específicos, dores nos seios e variações do humor.

Gravidez chegou? Tenha apoio de um bom médico

Depois de confirmar a gravidez, o próximo passo é buscar o apoio de um bom obstetra. Esse médico será responsável pela análise da gestação e saúde da mãe, prescrição de medicamentos necessários, controle do pré-natal e também pelo momento tão esperado: a hora do parto.

Serão necessárias diversas consultas, conversas e análises durante a gestação. Todos esses processos são indispensáveis para a identificação de possíveis problemas que podem afetar a saúde da mulher e do bebê que está sendo gerado. Serão contatos mensais e até semanais.

Gravidez
A grávida deve passar por exames para o diagnóstico de possíveis doenças. Foto: iStock, Getty Images

Pré-natal é regra

Esse acompanhamento é o principal método para a identificação de todas as características da gravidez, seus principais cuidados e possíveis tratamentos. De acordo com a Legislação Federal da Saúde, toda a mulher tem direito a acompanhamento especializado durante essa fase. Isso inclui exames, consultas e orientações sem custos.

Na primeira consulta de pré-natal serão analisados alguns detalhes de sua saúde. São eles a medição da pressão arterial, verificação de peso, altura, batimentos cardíacos do bebê, análise do útero e circunferência da barriga. O obstetra irá indicar todos os exames que deverão ser feitos durante a gestação. Veja quais são eles.

Sangue: determina qual é o tipo sanguíneo da gestante. Indica a presença de doenças perigosas para a saúde de ambos, verifica os níveis de açúcar, anemia e imunidade.  

Urina: indispensável para a identificação de possíveis infecções urinárias – algumas não causam dor e podem trazem prejuízos para o bebê. Os níveis de proteínas também são consultados para a verificação do risco de pré-eclâmpsia.

Fezes: análise para a identificação de parasitas que podem influenciar no desenvolvimento de anemia e problemas no sistema digestivo.

Ultrassonografia intravaginal: verifica o estado do embrião em seu saco gestacional e indica o tempo de gravidez.

Ultrassonografia da transluscência nucal: teste para o diagnóstico de possíveis anomalias como a Síndrome de Down.

Ultrassonografia morfológica: análise dos órgãos e identificação do sexo do bebê.

Triagem de diabetes gestacional: diagnóstico da diabetes, que deve ser tratada para evitar riscos à saúde da criança.

Triagem de estreptococo beta-hemolítico: identifica possível infecção por bactéria que pode causar a morte da criança após a nascimento.

Ultrassonografia do terceiro semestre: indica o peso, tamanho e posição da criança.
Outros exames ainda podem ser pedidos pelo médico. Todos eles garantem a segurança necessária para a gestante e a criança que está sendo gerada.

E aí, pronta para enfrentar a gravidez? Conte para a gente quais são suas expectativas!