A amamentação é um momento especial para as mães, que encontram ali uma ligação única com seu bebê. E com tantos benefícios que o leite materno traz para os dois, é natural que surjam diversas dúvidas sobre o assunto. E o que não falta são opiniões e crenças de todos os lados sobre o tema. Pensando nisso, nesta Semana do aleitamento materno, fizemos uma lista de mitos sobre a amamentação.

Conheça os mitos sobre a amamentação (Foto: Istock)
Conheça os mitos sobre a amamentação (Foto: Istock)

Semana do aleitamento materno: principais mitos

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o ideal é que até os seis meses de idade o bebê tenha como única fonte de alimentação o aleitamento materno. E quem é mãe de primeira viagem sabe bem como todo mundo tem alguma dica para dar quando se trata desse assunto. Mas como saber o que é realmente válido e beneficia a amamentação e o que é apenas mito? Descubra agora os principais mitos sobre o assunto:

Cesariana atrapalha a amamentação

O tipo de parto não tem influência no processo de produção de leite materno. Tanto mães que tiveram o bebê por parto normal quanto por cesariana podem amamentar normalmente. Às vezes acontece da mulher, no caso da cesárea, sentir dor no processo de cicatrização e isso atrasar um pouco a descida do leite, mas em poucos dias ela já consegue amamentar, sem problemas.

Peitos pequenos produzem menos leite

O tamanho dos seios não tem interferência no processo de produção de leite, que está ligado diretamente às glândulas mamárias.

Silicone prejudica a qualidade do leite materno

O implante de próteses de silicone não costuma interferir a produção do leite. Mas para evitar que a cirurgia afete a retirada do leite, vale avisar o cirurgião plástico do desejo em amamentar no futuro, assim ele poderá escolher a melhor técnica para o implante que não afete isso.

Canjica estimula a produção

Não há comprovação científica de que a ingestão de que produtos como canjica e cerveja preta têm ligação direta com a produção. No entanto, o recomendado é que a mãe beba pelo menos 1 litro de líquido diariamente, podendo escolher a bebida preferida para ajudar neste processo.

É necessário lavar os mamilos antes de amamentar

O próprio leite tem como um dos benefícios a proteção contra infecções, então não há razão para isso. Além disso, os mamilos possuem um óleo protetor que pode ser eliminado em caso de lavagem.

É preciso amamentar a cada duas horas

Na verdade, o recomendado é que a amamentação aconteça por “livre demanda”. Isso quer dizer que seja sem regra de periodicidade, levando em conta unicamente se o bebê está com fome. O importante é ficar atenta às necessidades do bebê e se ele está ingerindo corretamente o leite.

É preciso revezar os seios

Na verdade, o bebê deve mamar tranquilamente no primeiro seio. É importante ter paciência, pois às vezes pode demorar um pouco para fazer a sucção direito e após alguns minutos o bebê consegue ingerir o leite posterior, mais rico em gordura e açúcar e que ajuda no ganho de peso.

Para amamentar tem que sentir dor

Embora seja comum sentir um desconforto nos primeiros dias, a grande maioria não sente mais dor alguma em seguida. Caso continue dolorido, o indicado é procurar o especialista para verificar se não há infecção ou outro problema que precisa ser solucionado.

É preciso ter em mente que amamentar requer paciência e persistência. Com a prática, você entenderá as melhores técnicas, necessidades do seu bebê e posições mais confortáveis. E sempre que tiver dúvidas, converse com outras mães que também passaram por esse processo e, claro, não deixe de consultar o seu médico.