Você já ouviu falar em afrovibe? Para quem gosta de ritmo e prefere exercícios mais dinâmicos ao invés de malhar na academia, essa pode ser uma boa opção. Misturando danças africanas, orientais e caribenhas, além de movimentos fitness, a prática trabalha o corpo inteiro e promete diversão enquanto queima calorias.

A novidade surgiu na França, mas já conquistou muitas adeptas no Rio de Janeiro e, aos poucos, está se espalhando pelo resto do Brasil. É uma ótima maneira de modelar o corpo, ganhar flexibilidade e força muscular, além de liberar as energias e aliviar o estresse.

afrovibe
A aula de afrovibe é dinâmica e divertida, podendo queimar mais de 700 calorias. Foto: Facebook, Reprodução

Como funciona a afrovibe

Considerada lúdica, expressiva e intensa, a nova modalidade fitness foi criada pelas francesas Doris Martel, que é dançarina, e Mayram Kaba, que atua como personal trainer. Nascida há alguns anos nos subúrbios de Paris, a prática mistura cardio com movimentos de dança africana, dança oriental e danças caribenhas.

Nas aulas de afrovibe, as coreografias são executadas ao som de ritmos africanos e percussões do mundo todo, como música tradicional africana, afro-house, afro-jazz, samba e reggae, além de conter ainda movimentos fitness como agachamentos.

Uma aula tem duração de uma hora e meia e se estrutura em oito etapas: aquecimento e alongamento; alongamento cardio; coreografia cardio; coreografia dos braços; coreografia dos glúteos; coreografia do abdômen e cintura; repetição da coreografia cardio; e alongamento final.

Afrovibe
Criadoras do ritmo. Foto: Facebook, Reprodução

Indicações e benefícios do exercício

A afrovibe pode ser praticada por qualquer pessoa, desde crianças até idosos. A prática é indicada e acessível a todos porque conta com aulas de nível iniciante, intermediário e avançado. As coreografias e o nível de dificuldade dos movimentos variam de acordo com as aulas e vão aumentando conforme a evolução dos praticantes.

Entre os principais benefícios do exercício estão a perda de peso, a tonificação dos músculos e a definição das curvas do corpo. O uso dos ritmos percussivos e dos diferentes tipos de danças exigem a movimentação de todos os grupos musculares e de todas as partes do corpo: braços, ombros, peito, abdômen, glúteos, quadris, coxas e músculos das costas.

As coreografias de afrovibe exigem principalmente a musculatura profunda das pernas e do abdômen. Isso porque, diferentemente dos exercícios repetitivos feitos na musculação, por exemplo, a dança produz estímulos variados a todo momento e não há tempo suficiente para que o corpo se acostume com eles.

Para se ter uma ideia, em uma hora de afrovibe é possível queimar até 700 calorias, o que ajuda a eliminar as gordurinhas localizadas. Além disso, as aulas ainda gastam energia, aliviam o estresse e melhoram o bem-estar.

E aí, ficou com vontade de experimentar as aulas de afrovibe? Compartilhe o artigo com os seus amigos e busque um companheiro!