Não se falou de outro assunto hoje: a polêmica envolvendo o editorial produzido pela revista Vogue Brasil dominou todas as mídias sociais. Para quem ainda não está por dentro, nós explicamos: A publicação produziu um editorial de divulgação da campanha “Somos todos paralímpicos”, que tem como objetivo chamar a atenção para a competição que começa semana que vem, no Rio de Janeiro. O grande problema dessa iniciativa foi que, ao invés de chamarem atletas paralímpicos para participarem da campanha, os criadores do projeto preferiram usar apenas os corpos desses verdadeiros heróis do esporte. No lugar dos rostos dos paratleta de mesa Bruna Alexandre e do paratleta de tênis de mesa Renato Leite, optaram pelos rostos dos atores globais Paulo Vilhena e Cléo Pires.

Cléo Pires e Paulo Vilhena em editorial polêmico de atletas paralímpicos (Foto: Instagram)
Cléo Pires e Paulo Vilhena em editorial polêmico de atletas paralímpicos (Foto: Instagram)

A repercussão negativa foi instantânea e a internet não perdoou! Afinal, a ação reacendeu uma já velha discussão sobre os questionáveis padrões estéticos, além de ter sido uma oportunidade perdida de promover uma mensagem positiva sobre inclusão social e representatividade. O consenso foi geral: o editorial foi um grande desserviço e prevaleceu uma irresponsabilidade social sem tamanho.

Representatividade importa: Atletas paralímpicos e outros em editoriais de moda

Aproveitando o assunto do dia, fizemos uma seleção de editoriais em que foi provado que representatividade importa e que o diferente é belo! Confira alguns exemplos:

Revista Tpm

Uma foto publicada por Tpm (@revistatpm) em

Em fevereiro, a remadora Claudia Santos foi a estrela da revista TPM. Na capa, uma imagem da atleta esbanjando felicidade, com a frase: “Não troco este corpo pelo de antes do acidente. Me sinto mais ‘no controle’ hoje. Sou uma atleta a caminho da minha primeira Olimpíada. Estou à flor da pele”.

Revista Playboy

Atleta paralímpica Camille Rodrigues para a Playboy (Foto: Instagram)
Atleta paralímpica Camille Rodrigues para a Playboy (Foto: Instagram)

Por décadas, a Playboy foi conhecida por reforçar os padrões de beleza, estampando em suas páginas apenas modelos que se encaixavam dentro do perfil editorial da revista, já conhecido por todos. E como mudanças positivas são necessárias e bem-vindas sempre, nunca é tarde para rever conceitos. Para a edição de setembro, a revista produziu um belo ensaio com a nadadora paralímpica Camille Rodrigues, exibindo uma prótese de perna tatuada. Sensualidade que foge do óbvio e que encantou!

Fernando Fernandes

O canoísta Fernando Fernandes estrela diversos editorais (Foto: Instagram)
O canoísta Fernando Fernandes estrela diversos editorais (Foto: Instagram)

O canoísta Fernando Fernandes é outro exemplo força, superação e beleza. O atleta é um dos mais famosos paratletas. Embora não esteja nesta delegação brasileira da Paralimpíadas, ele será comentarista da Globo e estrela diversas campanhas e editorais. Teria sido um belíssimo nome para estrelar a campanha da Vogue. Só lamentamos o esquecimento. Teria sido lindo!

Paola Antonini

Embora não seja atleta, esse foi um nome bastante lembrado hoje, diante dessa polêmica. Paola é uma modelo que precisou amputar a perna, em 2014, após ser atropelada em frente à sua casa. Desde então, ela virou um símbolo de força, por ter passado pela situação com serenidade e aceitação. Atualmente, ela fotografa para editoriais e participa de desfiles de moda, sempre exibindo com orgulho a sua prótese.

Dazed Magazine

Editorial de Alta Costura produzido pela Dazed. (Foto: Facebook)
Editorial de Alta Costura produzido pela Dazed. (Foto: Facebook)

A revista britânica produziu um editorial de Alta Costura com modelos que tiveram as pernas amputadas, provando que a moda é para ser inclusiva e tem sim muito espaço para todos os perfis. A capa é de uma sensualidade tão bonita que a prótese é mera coadjuvante ali.

Com tantos exemplos, prevalece a mensagem de que representatividade é necessária e bela! Fica aqui nossa esperança de que editoriais como esses sejam cada vez mais presentes e, claro, estaremos na torcida para que os atletas paraolímpicos também brilhem no pódio!