No próximo sábado, em São Paulo, será realizado o evento que revelará a mais nova Miss Brasil 2016. E neste ano, pela primeira vez em sua história, o concurso contará com seis candidatas negras ao título de mulher mais bela do país. O número pode ainda ser pouco (referente a 25% do total de candidatas), se comparado à nossa população negra em geral (54%), mas é uma prova de que representatividade importa (e muito) e está cada vez mais em voga.

A beleza negra no Miss Brasil 2016

Desde a primeira edição do mais tradicional concurso de beleza do país, apenas uma mulher negra conquistou o título de Miss Brasil. Em 1986, a gaúcha Deise Nunes ganhou a desejada faixa. Para a eterna miss, o número de candidatas dessa edição deve ser algo a ser comemorado. “Isso abre portas para elas e, se alguma for eleita, é importante que ela de fato abrace a causa da negritude e lute sempre por respeito, oportunidade e espaço”, disse.

Para se ter uma noção do aumento dessa representatividade negra no concurso, na edição do ano passado, apenas uma candidata era negra, a Miss Distrito Federal Amanda Balbino. E nem tudo foi fácil para a modelo, que revelou ter quase desistido da carreira devido aos episódios de racismo que sofreu: “Eles queriam que eu alisasse meu cabelo, afinasse meu nariz, mudasse meus traços, então, resolvi desistir”, contou ao jornal Correio Braziliense.

Conheça as candidatas negras ao Miss Brasil

Raissa Santana
A Miss Paraná é estudante de marketing e tem 21 anos.

Sabrina Paiva
A Miss São Paulo é publicitária e tem 21 anos.

Beatriz Leite
A Miss Espírito Santo é modelo e bailarina. Tem 18 anos.

Victoria Esteves
A Miss Bahia é estudante de direito e tem 18 anos.

Deise D’Anne
A Miss Maranhão é estudante de educação física e tem 26 anos.

Mariana Theol Denny
A Miss Rondônia é modelo e tem 19 anos.

Não há dúvidas de que, independentemente do resultado, essa maior diversidade é necessária e um grande incentivo para crianças e mulheres se sentirem representadas e inspiradas a assumirem suas belezas naturais. Sejam com cabelos cacheados ou crespos, essas belas candidatas mostram que não deve existir um padrão de beleza, especialmente em um país onde a miscigenação é a sua essência.

O júri do concurso será composto por nomes representativos na moda brasileira, como os estilistas André Lima e Ricardo Almeida; a jornalista Mônica Salgado, diretora da Revista Glamour; o fotógrafo Fábio Bartelt e os beauty artists Ricardo dos Anjos e Wanderley Nunes. A cantora Paula Lima e a artista plástica Nina Pandolfo completam o time.

E para quem irá a sua torcida para receber a faixa, a coroa e o título de Miss Brasil 2016? Para saber mais sobre beleza, não deixe de acompanhar as matérias do Doutíssima. E se quiser ver nossas postagens primeiro, curta nossa Fan Page no Facebook.