A contracepção irreversível chamada Essure tem sido alvo de polêmica na França. Isso porque um conhecido advogado do país, que já se envolveu em outros processos famosos envolvendo medicamentos, anunciou que entrará na justiça para que autoridades da área de Saúde nomeiem peritos para que avaliem os prejuízos sofridos por duas clientes que tiveram problemas com o método.

Essure é um método de contracepção irreversível. Entenda a polêmica com o produto. (Foto: Istock)
Essure é um método de contracepção irreversível. Entenda a polêmica com o produto. (Foto: Istock)

Ação contra o Essure

À venda na França desde 2012, 120 mil mulheres já implantaram o método Essure e estão sob observações devido aos efeitos colaterais que o produto pode apresentar. Em 2012 foram 42 queixas sobre o produto, enquanto em 2015 esse número aumentou para 242 reclamações.

Uma das clientes do advogado Charles Joseph-Oudin, Marielle Klein contou ao Le Pariesien que, após fazer o implante do Essure, teve dores abdominais intensas e apresentou diversas reações alérgicas. Ela criou uma petição contra o produto e conseguir a assinatura de 45 mil mulheres. Algumas das que sofreram reações chegaram até a não conseguir trabalhar, devido às dores.

O presidente do Colégio Nacional de Ginecologistas e Obstetras Franceses (CNGOF), Bernard Hédon, disse ao mesmo veículo que o Essure pode realmente causar efeitos colaterais perigosos e, por isso, é preciso que sejam divulgadas informações sobre esses riscos às mulheres.

O laboratório Bayer, responsável pelo produto, se pronunciou sobre a polêmica, dizendo que “o produto demonstrou ser um método contraceptivo seguro e definitivo, com uma relação benefício/risco positiva, comprovada por mais de uma década de pesquisas. Como acontece com qualquer procedimento médico, podem aparecer efeitos colaterais: principalmente cãibras, náuseas, vômitos, vertigens, tonturas e sangramento, dor nas costas, abdominal ou durante a relação sexual”. A empresa acrescentou ainda que “no que diz respeito à informação dos pacientes, os materiais de informação são desenvolvidos em estreita colaboração com as autoridades de saúde”.

Como funciona o Essure

Esse é um método contraceptivo definitivo, que ainda não é muito conhecido no Brasil, mas que, como foi citado acima, já foi aderido por 120 mil mulheres na França. O Essure funciona como uma laqueadura que dispensa procedimento cirúrgico, sendo rápido, sem cortes ou necessidade de anestesia.

Nele, é introduzida uma mini mola nas pontas das trompas, formando uma barreira mecânica que impede a passagem dos óvulos e espermatozoides. O método é indicado para mulheres que já são mães e não desejam ter mais filhos, já que em caso de arrependimento a mini-mola pode ser retirada por meio de cirurgia. Porém a mulher só conseguirá engravidar através de técnicas da reprodução assistida.

O Essure não é um contraceptivo imediato, demorando cerca de três meses para que o organismo absorva a mola e assim possa formar a barreira que impede a passagem de espermatozoide e óvulo. Por isso, nos primeiros meses é recomendado o uso de outros métodos anticoncepcionais.

Você já tinha ouvido falar do Essure? O que acha deste método de contracepção irreversível? Para saber mais sobre métodos contraceptivos, não deixe de acompanhar o nosso site.